O Linum Usitatissimum (nome científico) é uma planta herbácea que chega a atingir um metro de altura. É composto basicamente de uma substância fibrosa da qual são extraídas as fibras longas para a fabricação de tecidos e da superfície lenhosa.

Muito mais forte e resistente que a fibra de algodão, o linho tem alto poder absorção e tingimento, porém baixo poder de resiliência – amassa com facilidade.

A Europa é o principal produtor de linho, sendo a Bélgica o país que produz o de melhor qualidade.

O cultivo, assim como o processo de produção da fibra é muito caro, o que faz com que o tecido tenha um custo elevado. Para solucionar esse problema as indústrias têxteis produzem a fibra de linho misturada a outras fibras tais como: o algodão e a viscose; sem perder as suas características; além disso o linho recebe um banho de resina, dando a ele um aspecto de encerado que faz com que o tecido amasse menos.

Plantam-se três tipos de linho:

  • Linho de fibras (linho para debulhar), para a obtenção de fibras têxteis;
  • Da semente, para a obtenção de óleo de linhaça;
  • Linho de cruzamento, conseguido pelo cruzamento do linho de fibras com óleo foi desenvolvido para dar um rendimento suficiente de fibras e óleo. A fibra, contudo, ainda não satisfaz as esperanças nela depositadas pela indústria.
Related Posts